Notícias

MOMENTO CÍVICO HOMENAGEIA FILHAS DE MARIA AUXILIADORA

147 anos de criação das Filhas de Maria Auxiliadora foi o tema do momento cívico do mês de agosto

Na segunda-feira, dia 07, alunos e educadores se reuníram para o momento cívico do mês de agosto que teve como tema os 147 anos da criação das Filhas de Maria Auxiliadora. O momento contou com muitas homenagens para as irmãs salesianas, em especial para Ir. Flávia, Ir. M. Liduína, Ir. Wanda e Ir. Ana Virgínia.

As Filhas de Maria Auxiliadora (FMA) são uma família religiosa nascida do coração de São João Bosco e da fidelidade criativa de Santa Maria Domingas Mazzarello. Dom Bosco escolheu esse nome porque idealizou as FMA como um monumento vivo de gratidão a Maria. 

Em Turim a escolha de Dom Bosco de fundar uma instituição em favor das jovens resultou da solicitação de várias pessoas; da constatação do estado de abandono e pobreza em que muitas jovens se encontravam; do contato com vários Institutos femininos; da profundidade da sua devoção mariana; da confirmação do Papa Pio IX que o encorajou nessa direção; além de repetidos “sonhos” e fatos extraordinários contados pelo próprio Dom Bosco. 

Nesse contexto, o Instituto das Filhas de Maria Auxiliadora foi fundado no dia 5 de agosto de 1872, em Mornese, na Itália. Dom Bosco ansiava pela criação de um instituto feminino que pudesse realizar o trabalho educativo e evangelizador que já era promovido para meninos e, ao conhecer Maria Domingas Mazzarello e o trabalho que ela realizava, enxergou a possibilidade de tornar seu sonho realidade. Assim, Madre Mazzarello foi a cofundadora e primeira diretora do Instituto.

Atualmente, o Instituto das FMA conta a com mais de 13.500 irmãs distribuídas em 1.436 comunidades, em 94 nações, nos cinco continentes. Elas atuam em escolas, centros de formação profissional, casas-lares, obras para meninas de rua, associações para o tempo livre, voluntariado, catequese, obras de primeira evangelização, trabalho com indígenas, obras de promoção da mulher, atividades de microcrédito e microeconomia, entre outras.

Fonte: Pastoral RSB