Pastoral

A Campanha da Fraternidade 2018, proposta pela CNBB, traz o tema “Fraternidade e superação da violência” e o lema “Em Cristo somos todos irmãos” (Mt 23,8). A Campanha 2018 quer construir a fraternidade, promovendo a cultura da paz, da reconciliação e da justiça, à luz da Palavra de Deus, como caminho de superação da violência.

O Reitor-mor, Pe. Ángel Fernández Artime, presenteia a Família Salesiana com a Estreia 2018. O tema é muito significativo, atual e interessante, do ponto de vista evangélico, eclesial e carismático: “Senhor, dá-me dessa água (Jo 4,15): cultivemos a arte de escutar e de acompanhar”. É uma escolha que toca profundamente o “coração salesiano” e dá vigor renovado à missão que somos chamados a assumir, cada dia, com alegria e esperança. Motiva-nos neste compromisso o desejo de que os jovens possam descobrir um modo de viver e de sonhar a própria existência, na qual amadureçam valores, como a gratuidade e a doação, a abertura aos outros e a abertura a Deus.

O Sínodo dos Bispos sobre os jovens apresenta-nos o tema: “Os jovens, a fé e o discernimento vocacional”, que propõe a toda a Igreja aprofundar a sua reflexão e prática pastoral no acompanhamento dos jovens, sobretudo, no discernimento vocacional à luz da fé.

A missão em sinergia com os leigos será fortalecida pelo Ano do Laicato, proposto pela CNBB, que tem como tema “Cristãos leigos eleigas, sujeitos na ‘Igreja em saída’, a serviço do Reino” e o lema: “Sal da Terra e luz do mundo” (Mt 5,13-14).

Convém saber que a teologia do laicato foi de fato reconhecida a partir do Vaticano 2º, principalmente com base na Lumen Gentium, capítulo 4º - dedicado completamente aos leigos.

Neste ano se celebram os 150 anos da consagração da Basílica de Maria Auxiliadora de Turim. Para as FMA, este não é apenas um evento histórico, mas um chamado novo a redescobrir os motivos pelos quais Dom Bosco ergueu aquele templo a Maria e quis o Instituto da Filhas de Maria Auxiliadora profundamente ligado a ele.

Com alegria e gratidão, celebraremos também os 70 anos da Inspetoria Madre Mazzarello. O lema: “Pessoas apaixonadas são apaixonantes” sublinha a intrínseca dimensão vocacional da missão educativa.

Sejam corajosos em falar de Jesus aos jovens e do chamado a segui-lo, sem timidez ou temor. É missão nossa comunicar-lhes que Ele tem um projeto de amor para cada uma e cada um; que Seu olhar de predileção os convidem a serem um dom de amor para a Igreja, para a sociedade, para a família, para a vida religiosa, entre os próprios jovens.

A Pastoral juvenil e a pastoral vocacional devem caminhar de mãos dadas. A pastoral vocacional apoia-se, surge e desenvolve-se na pastoral juvenil. Por sua vez, a pastoral juvenil, para ser dinâmica, completa, eficaz e verdadeiramente formativa, tem que estar aberta à dimensão vocacional. Isto significa que a dimensão vocacional da pastoral juvenil não é algo que se deve propor somente no final de todo o processo ou a um grupo particularmente sensível a uma chamada vocacional específica, mas deve ser proposta constantemente ao longo de todo o processo de evangelização e de educação na fé dos adolescentes e dos jovens.